Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

Navalha na Carne

Imagem
Navalha na Carne

Autor: Plínio Marcos. Direção: Guilherme Colina. Elenco: Alex Valle, Clébia Vargas, Fernanda Hallais e Guilherme Colina. Coreografia e Preparação Corporal: Douglas Gonzales. Grupo Confesso - http://grupoconfesso.wordpress.com/
----------------- // ---------------------

Algumas observações após assistir o espetáculo.
A bailarina e sua prisão invisível.
Entravamos para o show de Neusa Sueli, que começou atrasado, na parede lateral do bar enquanto o caminhão de cerveja era descarregado. Mal percebíamos, um pouco angustiados que a ação teatral já começava, bem próxima, ao nosso lado. Personagens e pessoas se misturavam numa ante-sala apertada, enquanto a atriz que chegava, rezava ao seu pequeno santuário. Um ato de fé descabido, já que o futuro perdido, não absolve os pecados.
Ler a Divina Comédia antes de escrever trouxe um pouco de rima para minhas palavras. Mas até que é conveniente, porque para escrever sobre Navalha na Carne queria voltar um pouco minha experiência pa…

Nova Lima On Broadway

Imagem
De que é feito o sucesso, a vitória? Como termos certeza de que alcançamos o objetivo?


Esta semana eu resgatei este tema que é muito abordado no livro “A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen”, que transcreverei aqui com minhas próprias palavras:  O mestre, ao perceber a frustração do aluno que não consegue sequer puxa a corda do arco japonês após dois meses de exaustivas tentativas, faz uma demonstração. Pega o arco, que de tão grande, tem de ser sustentado ao lado do corpo, com o braço esticado, enquanto a outra mão puxa a corda, grossa e resistente até próximo ao nariz e os olhos fixam o objetivo. O mestre respira e puxa a corda como se fosse um fio de algodão, observa por um breve instante o alvo e solta a flecha. Vira-se de costas e vai embora. O aluno, desesperado, grita, mestre vamos ver se você acertou o alvo. O mestre então lhe dá a proveitosa lição. Isso não importa. Não importa se eu acertei ou não, o que importa é que coloquei toda a minha atenção e vontade em res…

Ego

Imagem

DRIKA

Imagem
DRIKA
Algumas observações após assistir o espetáculo.

Autores: Henrique Limadre, Luiz Felipe Davila, Paolo Mandatti | Diretores: Henrique Limadre, Luiz Felipe Davila, Paolo Mandatti | Elenco: Henrique Limadre, Luiz Felipe Davila, Paolo Mandatti | Produtor: Teatro 171 | Figurinista: Paolo Mandatti | Iluminadora: Marina Arthuzzi | Trilha Adaptada: Henrique Limadre, Luiz Felipe Davila, Paolo Mandatti | Técnico: João Santos | Assistência em Glamour: Marina Viana | Blog: www.everybodylovesdrika.blogspot.com |
--------------//------------------

A chamada para o espetáculo: “Um Gay stand up” já avisa que a linguagem em cena seria própria do universo gay. Constroem o anúncio da morte de Drika que traz dois personagens imaginários, a bicha ONG, do passado e a bicha 3G, do presente.
Isso já me chamou muito a atenção por um fato simples. O presente é que normalmente poderíamos aludir como real, enquanto o passado e o futuro estão relegados aos planos da memória, dos sonhos, idealizações e da imag…

Aqueles Dois

Imagem
Aqueles Dois


Autor: Caio Fernado Abreu | Adaptação, Direção, Cenografia, Figurino e Trilha Adaptada: Cláudio Dias, Marcelo Souza e Silva, Odilon Esteves, Rômulo Braga e Zé Walter Albinati | Elenco: Guilherme Théo, Marcelo Souza e Silva, Odilon Esteves e Rômulo Braga | Ator Stand-by: Fábio Dias | Produtor: Companhia de Teatro Luna Lunera | Iluminadores: Felipe Cosse e Juliano Coelho | Produção Executiva: Cintia Carvalho | Coordenação de Produção: POP Produções Artísticas e Entretenimento | Blog: www.cialunalunera.blogspot.com |


---------------//---------------




Eu-Isso, Eu-Tu. Relações existenciais no conto de Caio Fernando Abreu.


Dasein (Ser-aí) é uma condição existencial que me lembra um estado de solidão e desamparo. Um ser-aí, jogado no mundo vazio de sentidos que ainda vão ser construídos enquanto toma-se contato com tudo aquilo que não é o Ser em si. Já traz a premissa que o constituídor de sentidos é o contato com a alteridade. Evidencia que só existe algum tipo de relaçã…